A Prefeitura não poderia tratar esse pedido de repasse financeiro com a irresponsabilidade que tratou. Os documentos que instruíram o projeto foram enviados agora, no final da tarde, e porque os vereadores e as vereadores pediram. O projeto não foi instruído pela Prefeitura, por isso votei não. Essa Câmara não é uma salinha da Prefeitura. Ou trata o Parlamento de Ribeirão Preto com a soberania que merece ou é não. Quem paga é o povo que está sofrendo com o atendimento na Saúde”.

A declaração é do vereador Marcos Papa (Cidadania) e foi feita, na sessão da Câmara de quinta (2), durante a votação do projeto de Lei, de autoria do prefeito Duarte Nogueira, para autorizar a Prefeitura a repassar R$ 2,6 milhões à Fundação Hospital Santa Lydia. O projeto foi aprovado com 18 votos favoráveis, dois contra e uma abstenção.

Papa chegou a comparar a atual Administração com o Governo Darcy Vera. Muitas vezes damos um voto de confiança, mas eles estão abusando. Chega! Nenhuma autoridade do Poder Executivo se manifestou por escrito endossando esse pedido de repasse. Dá um dinheiro aí, tá tudo certo amigão?! Não, isso não é conversa para a Câmara de Vereadores. Que isso não acontece mais. Parece coisa de Governo Darcy Vera, que cansou de mandar projetos para essa Câmara sem instrução de documentos. E, neste caso, é dinheiro do povo, dinheiro do contribuinte para atender a Saúde, o povo está sofrendo e precisa de atendimento”, frisou.

Por fim, Papa parabenizou a Fundação Hospital Santa Lydia. “Parabéns à Fundação que solicitou o repasse, que fundamentou o projeto de Lei a pedido dos vereadores e das vereadoras. Os vereadores fizeram um movimento para ir atrás dos documentos que deveriam ter sido enviados pela Prefeitura na instrução do projeto lá atrás e que chegou agora quase na hora da votação. Não é assim que a Prefeitura deve tratar o atendimento à saúde para a população de Ribeirão Preto”, enfatizou.

Deixe o seu Comentário

comentários