Acionado pelo ex-vereador Gilberto Abreu, o vereador Marcos Papa (Cidadania) visitou o Parque Residencial Lagoinha, nesta quarta-feira, dia 1°, para conferir o que classificou como “tragédia ambiental”: podas drásticas em centenas de árvores ao longo de toda a Avenida José Gomes da Silva e na Rua Marechal Mascarenhas de Morais.

A “destruição” foi praticada, semana passada, por uma empresa terceirizada pela CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) sob alegação de as árvores estarem embaixo de linhões. Porém, o que se pode ver no local vai muito além de podas de correção.

Presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente da Câmara, Papa atribui a “tragédia ambiental” ao “raquitismo” que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente representa no Governo Nogueira.Esse raquitismo da Secretaria de Meio Ambiente é de responsabilidade do prefeito, que precisa reverter isso e ter um olhar ambiental para a cidade. A Secretaria de Meio Ambiente precisa supervisionar esse serviço. Árvores plantadas há 30 anos foram destruídas, enfatizou o parlamentar.

Gilberto Abreu, que é professor ambientalista e já foi secretário de Meio Ambiente em Ribeirão Preto, afirmou que as mutilações poderão resultar na morte de várias árvores e criticou o esvaziamento técnico no setor. Por fim, o especialista relacionou o descaso ambiental com as altas temperaturas e a baixa umidade do ar no município. “O deserto não está longe de nós, o deserto está sendo produzido por nós, enalteceu.

Papa – que é autor da Lei das Podas, a legislação municipal que dispõe sobre a divulgação da relação de pessoas devidamente capacitadas para realização de podas e determina a exibição de credencial pelos prestadores – , ainda acrescentou: “Ações inaceitáveis como essa tornam nossa cidade mais seca, a sensação térmica fica pavorosa. Precisamos reagir!! A população tem que nos ajudar a pressionar. A Prefeitura precisa endurecer, a Secretaria de Meio Ambiente não pode continuar raquítica, como está. A Secretaria de Meio Ambiente tem que ter protagonismo na fiscalização e na implementação das ações ambientais”.

 

Deixe o seu Comentário

comentários