“Os bons exemplos devem ser seguidos, principalmente em uma situação emergencial, como a que estamos vivendo. Estamos vendo países ao redor do mundo anunciarem medidas relacionadas a mobilidade ativa e sustentável. Como a disseminação do novo Coronavírus está impactando diretamente na rotina das pessoas, mais do nunca Ribeirão Preto precisa repensar as formas de mobilidade urbana com vistas às soluções imediatas para quem precisa se deslocar mantendo um distanciamento seguro”.

A declaração é do vereador Marcos Papa (Cidadania), que, no início deste mês, indicou ao Executivo a implementação de um Plano Emergencial da Mobilidade Ativa/Sustentável durante e após a pandemia do Coronavírus. Com 11 páginas, o documento traz informações e imagens de medidas adotadas em Barcelona (Espanha), Milão (Itália), Berlim (Alemanha), Paris (França) e Bogotá (Colômbia).

Para Marcos Papa, que é presidente da Comissão Permanente de Desenvolvimento Econômico da Câmara de Ribeirão Preto e também da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Sustentabilidade, é preciso incentivar alternativas de modais e rever políticas de transporte adaptando para o uso de ciclistas e pedestres parte das vias do município destinadas a veículos motorizados.

Referências pelo mundo

Bogotá, que já era referência em mobilidade urbana e soluções urbanísticas, anunciou em março desse ano, a habilitação de 76 novos quilômetros de faixas destinadas a bicicletas, localizadas em vias existentes, mas separadas dos carros por cones. A medida promove distanciamento social, descongestionamento do transporte público e redução dos problemas respiratórios agravados pela poluição do ar causados pelos veículos.

Em julho do ano passado, Papa foi à Colômbia, a convite da Prefeitura de Medellín, conhecer as soluções urbanísticas e a mobilidade urbana das duas principais cidades colombianas. Bogotá contava com 540 km de ciclovias para atender 7.181 milhões de habitantes e 5.260 vagas georreferenciadas em bicicletários só na Capital (Leia mais).

A Indicação de Papa ao Executivo destaca que Montpellier (França), Calgary (Canadá), Cidade do México (México) e Filadélfia (Estados Unidos) também estão remodelando as vias urbanas para adaptar faixas exclusivas para ciclistas e pedestres.

Milão, por exemplo, anunciou que 35 km de ruas serão transformadas com uma rápida expansão experimental de ciclismo e espaço para caminhadas. O Plano Strade Aperte incluiu ciclovias temporárias de baixo custo, pavimentos novos e ampliados, limites de velocidade de 30 km/h e ruas prioritárias para pedestres e ciclistas.

Planos para Corso Buenos Aires antes e depois do projeto Strade Aperte. Composto: PR
Crédito: The Guardian

Barcelona elaborou um plano de ação, em conjunto com os Transportes Metropolitanos de Barcelona e Municípios de Barcelona de Serveis, com medidas urgentes e imediatas para garantir que os cidadãos possam se mover com condições de seguranças, promovendo ações coletivas, modos sustentáveis e não poluentes.

Crédito da imagem: barcelona_cat
Crédito da imagem: barcelona_cat

Paris lançou 650 km de ciclovias de emergência. Berlim alargou ciclofaixas usando fita e tinta para que ciclistas possam manter uma distância mais segura.

Pop-up “Corona Cycleway” on Avenue Leclerc in Paris, imagined by the Paris en Selle association
Berlim tem usado tinta e balizadores
Crédito: BA-FK

Alargamento de calçadas

Marcos Papa defende que as calçadas de Ribeirão Preto sejam alargadas adotando intervenções de urbanismo tático, como tinta e tachões, para demarcar o novo desenho do pavimento.Precisamos investir em modais capazes de frear o contágio do coronavírus. Nossas calçadas são estreitas e hostis aos pedestres, assim como nossas ruas são inadequadas e hostis aos ciclistas. A Prefeitura precisa agir de forma rápida e eficiente para enfrentar os desafios impostos pela pandemia. Essas intervenções já podem, inclusive, ser uma forma de testar novos perfis de ruas que priorizem a mobilidade ativa, contribuindo assim com o planejamento urbano de Ribeirão Preto a médio e longo prazo”, ressaltou o parlamentar.

Na Indicação, o vereador destaca que, de acordo com o Plano de Mobilidade de 2012, 22% dos deslocamentos diários da população são realizados a pé em Ribeirão Preto e somente 3% de bicicleta contra 29% de carro e 18% de ônibus. O investimento em mobilidade ativa, segundo o vereador Marcos Papa, deve melhorar a poluição atmosférica, a exemplo dos registros de outras cidades.

Emprego e renda

O documento também destaca que o investimento em mobilidade gera emprego e renda. Um dos exemplos é a Coréia do Sul, onde após a Grande Recessão foram criados cerca de 138 mil empregos com o investimento em ciclovias e ferrovias. Por fim, Papa menciona na Indicação o Plano Emergencial de Calçadas de São Paulo (Lei n°14.675/2018), que pode inspirar um plano local melhorando a mobilidade e a saúde pública e gerando empregos.  

“Portanto, indicamos a implementação de um Plano Emergencial da Mobilidade Ativa e Sustentável durante e após a pandemia, priorizando a mobilidade ativa e incluindo a qualificação do transporte público garantindo assim a segurança da nossa população, promovendo uma economia sustentável, gerando empregos, experimentando novas soluções de desenho urbano e melhorando a qualidade do ar e da saúde pública”, frisou.

Marcos Papa ainda acrescentou: “Indicamos que essa pauta seja inserida com urgência dentro dos comitês pertinentes trazendo também para essa discussão os técnicos da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão Pública. Sugerimos que sejam abordados dentro do Plano: investimento em ciclismo e caminhada, infraestrutura de ônibus e trânsito de alta qualidade, programas de incentivos econômicos para recuperação do transporte público e governança e planejamento urbano”.

Deixe o seu Comentário

comentários