Após representação protocolada pelo vereador Marcos Papa (Cidadania), o Ministério Público abriu inquérito civil, nesta terça-feira, dia 15 de junho, para investigar o subsídio milionário que a Prefeitura de Ribeirão Preto começou a repassar para o Consórcio PróUrbano, responsável pelo transporte público coletivo no Município.

Papa aponta contradição entre alegações da Administração junto ao Judiciário e ao Legislativo no que diz respeito a saúde financeira do Consórcio PróUrbano.

O promotor Sebastião Sérgio da Silveira, que recebeu a representação, vê indícios de irregularidades no repasse, que pode chegar a R$ 17 milhões. O subsídio ao PróUrbano, que alega prejuízos acumulados ao longo da pandemia, foi aprovado pela Câmara, no dia 8 de junho, e publicado, dia 9, no Diário Oficial, como Lei n° 14.571.

Durante a votação, Papa detonou o atual sistema e criticou o fracasso da atual Administração na gestão do transporte público. Na representação ao MP, Papa pede a suspensão do repasse para prevenir eventual prejuízo aos cofres públicos.

“Há uma incongruência nítida entre a posição da Prefeitura perante o Judiciário e a Câmara Municipal. Ou a Municipalidade enganou e manipulou o Legislativo ou assim o faz e continuará fazendo com o Poder Judiciário”, enfatizou o parlamentar.

A abertura do inquérito repercutiu na imprensa:

https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2021/06/15/mp-abre-inquerito-para-investigar-repasse-milionario-da-prefeitura-de-ribeirao-preto-ao-prourbano.ghtml

https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/cotidiano/cidades/NOT,0,0,1622916,Ribeirao-MP-investiga-repasse-milionario-para-o-transporte.aspx

Leia também:

Por contradição, Papa aciona MP e pede suspensão de repasse

Maioria aprova repasse milionário, mas Papa detona o sistema

 

Deixe o seu Comentário

comentários