Crédito da foto: Comunicação da Câmara

A CEE (Comissão Especial de Estudos) da Eutanásia, proposta pelo vereador Marcos Papa (Rede), será instalada nesta quinta-feira (01/03), às 14h30, na Sala das Comissões. O objetivo da CEE é acompanhar os casos de eutanásia na CBEA (Coordenadoria do Bem-Estar Animal).

Em sabatina no Legislativo, em meados de dezembro, a responsável pela coordenadoria confessou que animais com múltiplas fraturas são sacrificados, por falta de aparelho de raio-x, ao não responderem a analgésicos. A prática é ilegal, pois contraria legislação estadual que permite o sacrifício quando não há alternativa de tratamento ou quando há riscos a saúde pública.

Carolina Vilela foi convocada pelo vereador Marcos Papa depois de ter chamado de “bando de palhaço” e “ativistinhas” protetores de animais que planejavam uma manifestação pacífica em frente à CBEA devido a morte do cão Jon. Os ataques foram postados na página pessoal de Carolina no Facebook e posteriormente deletados.

Apesar de ter se desculpado publicamente com os ativistas, durante a sabatina em dezembro, Carolina admitiu ilegalidades e a fragilidade do setor. Além de criticar a falta de estrutura da CBEA, Marcos Papa defende que a coordenadoria seja comandada por uma pessoa mais preparada tecnicamente para a função.

Em representação protocolada no Ministério Público em janeiro, Marcos Papa informou as ilegalidades confessadas por Carolina e detalhou a situação precária da CBEA. Para o parlamentar, os autos da CEE contribuirão com o inquérito civil que já tramita na promotoria.

Castração
Atual presidente da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos dos Animais, na Câmara, Marcos Papa defende uma ampla campanha de castração animal em Ribeirão Preto.

“A castração é a principal prevenção. Até que a prefeitura tome essa decisão veremos um crescimento explosivo da população de animais de rua. O impacto na saúde pública é muito preocupante, além de uma judiação com os nossos animais. Está faltando pulso firme e energia por parte da prefeitura, mas nós vamos continuar cobrando”, frisou.

Deixe o seu Comentário

comentários