Relator da CEE da Covid, o vereador Marcos Papa (Cidadania) criticou a Prefeitura de Ribeirão Preto, a Coderp e a ex-superintendente Marine Vasconcelos por constantes instabilidades no site oficial para agendamento da vacinação contra Covid-19. A crítica ocorreu na tarde da última terça-feira, dia 13 de Julho, durante apresentação do cronograma da Comissão Especial de Estudos que analisará a gestão e as prioridades empregadas no uso de verbas ao combate da pandemia da Covid-19.

A letargia que a Coderp vive penaliza o ribeirão-pretano. Não por responsabilidade dos seus servidores, temos excelente talentos ali, mas por conta de má gestão que levou essa situação caótica do agendamento para vacinação. Estamos no 16° mês de pandemia. O governo teve mais de 10 meses para se programar, mas infelizmente colocou na Coderp alguém sem nenhum conhecimento de Tecnologia da Informação”, frisou.

O vereador acrescentou: “Com muita apreensão, a população sofreu demais para fazer os agendamentos de vacinação. Só hoje o prefeito veio a público explicar que a Coderp aumentou a quantidade de servidores para que possam ser feitos mil agendamentos por minuto. É uma promessa, vamos ver na realidade quando a agenda for disponibilizada”.

Marine Vasconcelos foi exonerada no início de julho, após denúncias de irregularidades. O comando da Coderp, desde então, está nas mãos de Everaldo Oliveira Rocha. O prefeito Duarte Nogueira informou o aumento na capacidade de agendamentos em entrevista à imprensa. Em março, Papa já havia criticado a Coderp por instabilidades no site da Prefeitura, que chegaram inclusive a afetar o portal da Câmara. Na época, o vereador gravou um vídeo em frente a Prefeitura cobrando melhorias no atendimento à população.

Ainda durante sua fala na reunião, Papa criticou a Administração por realizar “fiscalização seletiva” e por uma “precipitada divulgação” sobre o Município ter zerado o número de pacientes intubados nos prontos atendimentos dos Polos Covid e das UPAs.

Essa Comissão terá função também de comunicação. Precisamos dizer à população que a doença da Covid-19 está muito distante de um controle. Esse respiro que as enfermarias e UTIs estão tendo, felizmente por força da vacinação, não significa o controle da doença. Não podemos arredar o pé das medidas de prevenção”, alertou.

Por fim, Papa enfatizou que o recebimento de recursos federais pelos municípios é previsto no Pacto Federativo e esses correspondem a uma fatia dos impostos pagos. “Não é favor nenhum do Governo Federal. Aliás, os municípios recebem muito menos do que enviam para Brasília, por isso é que pedimos: mais Brasil, menos Brasília”, destacou.

O relator emendou: “Vamos apresentar um bom relatório mostrando à população como os recursos federais e municipais foram e estão sendo aplicados no combate à Covid-19 e por que a população não está sendo melhor atendida nessa pandemia”, finalizou.

Assista:

Deixe o seu Comentário

comentários