Ribeirão Preto esteve no noticiário nacional, essa semana, por registrar a pior qualidade do ar do Estado de São Paulo. A mudança de crise climática para emergência climática tem preocupado o vereador Marcos Papa (Cidadania) diante da inércia da Prefeitura no que diz respeito as questões ambientais no Município.

Papa quer esclarecimentos, providências e investimentos para a implantação em caráter emergencial do Plano Municipal de Mudanças Climáticas. Por meio de requerimento, aprovado na Câmara, na sessão legislativa do último dia 10 de agosto, o vereador, que é presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Mobilidade Urbana, está cobrando atitudes do prefeito Duarte Nogueira.  

No documento, Papa cita o relatório divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que destaca que para limitar o aquecimento global em qualquer nível requer, no mínimo, que as emissões líquidas de CO2 sejam zeradas e que outros gases de efeito estufa, como o metano, sejam substancialmente reduzidos.

O vereador frisa o relatório é a atualização mais importante da ciência do clima em quase uma década e reforça que há um caminho estreito para evitar a catástrofe climática, mas apenas por meio de reduções de emissões imediatas, profundas e sustentadas.

Ainda no requerimento, Papa enfatiza que cada escolha e cada fração de grau do aquecimento evitado é importante e as escolhas certas serão avaliadas em vidas, meios de subsistência, espécies e ecossistemas salvos, além de que as mudanças climáticas e seus impactos estão se acelerando, e que mais impactos estão a caminho.

Por fim, o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara solicita, em caráter emergencial, informações sobre quais são as metas do Município para a redução das emissões de CO2 e dos outros gases de efeito estufa, incluindo o detalhamento do planejamento, os indicadores, as ações previstas em curto, médio e longo prazo, e os investimentos que serão adotados.

A Prefeitura de Ribeirão Preto precisa priorizar a elaboração e implantação do Plano Municipal de Mudanças Climáticas. Precisamos investir em projetos e programas que visam a resiliência, sustentabilidade, verdejamento urbano, mobilidade ativa e de baixa emissão, gestão sustentável da água, cidade lixo zero, entre outros. Precisamos agir logo em escala municipal!”, declarou o vereador Marcos Papa.

Há um ano, Papa vem cobrando da Prefeitura um Plano Integrado de Prevenção e Combate aos Incêndios. No ano passado, o vereador organizou reuniões públicas com o objetivo de mediar o alinhamento dos órgãos envolvidos com vistas a essa integração.

A cobrança pela implantação do Plano Diretor de Arborização Urbana é ainda mais antiga. Desde o início de sua vida parlamentar, Marcos Papa cobra da Administração ações para o verdejamento da cidade de modo a resultar em mais qualidade de vida à população. Em junho de 2019, Papa apresentou o Programa Ribeirão -3°C, que visa tornar a área urbana de Ribeirão 30% verde até 2030.

O lançamento oficial do Programa, que está sendo gerido pelo Fórum das Inovações Urbanas, ocorreu em fevereiro de 2020 e visa unir ONGs, empresas, comunidade acadêmica, poder público e sociedade civil em uma grande colaboração para o meio ambiente melhorando o microclima e a qualidade de vida das pessoas que aqui vivem.

 

Deixe o seu Comentário

comentários