O vereador Marcos Papa (Cidadania) quer que o Ministério Público Estadual investigue um gasto milionário da Prefeitura de Ribeirão Preto com pesquisas de opinião – parte delas realizadas durante a pandemia da Covid-19. Um dia após propor e aprovar uma Moção de Repúdio na Câmara, Papa protocolou, nesta sexta-feira, dia 26 de fevereiro, uma representação no MP solicitando apuração do caso.

O gasto de dinheiro público com pesquisas foi divulgado pelo portal de notícias Farolote. Reportagem escrita pelo jornalista Cristiano Pavini mostra que o Governo Nogueira pagou R$ 1,3 milhão por 24 pesquisas de opinião, que mediram a percepção do ribeirão-pretano em várias áreas, inclusive, a popularidade do Executivo.

Cada pesquisa custou mais de R$ 50 mil. O Farolete fez os levantamentos dentro do contrato de publicidade da Prefeitura – com a empresa Versão BR -, que, entre 2018 e 2020, custou R$ 19,3 milhões aos cofres públicos. Das 24 pesquisas, 18 ocorreram nos 12 meses que antecederam as eleições do ano passado – quando Nogueira foi reeleito. O portal divulgou ainda que a empresa subcontratada para o serviço fez pesquisas para as últimas duas campanhas eleitorais do tucano.

Reprodução

Papa classificou o gasto como “inaceitável e injustificável”. “É inadmissível uma cidade onde falta dinheiro para zeladoria, falta dinheiro para tanta coisa, vermos o chefe do Poder Executivo destinando R$ 1,3 milhão para esse tipo de gasto”, frisou o vereador em seu discurso na tribuna da Câmara, na sessão da última quinta-feira (25).

24 pesquisas ao custo de R$ 1,3 milhão, 18 delas realizadas antes do período eleitoral com perguntas absolutamente desnecessárias, descabidas, como, que horas que a pessoa assiste televisão, que horas que escuta música, claramente direcionadas para instruir a agência de publicidade para o período eleitoral”, acrescentou.

Papa enalteceu o papel da imprensa. “Foi muito feliz a reportagem feita pelo jornalista Cristiano Pavini, do Farolete. Quero dizer ao munícipe que acompanha o nosso trabalho: todo político que critica indiscriminadamente a imprensa na verdade quer se esconder. Não é o caso do prefeito, mas quero dizer da importância da imprensa, que investiga, que denuncia, que traz a luz àquilo que está escuro, àquilo que não é transparente, enfatizou.

Assista o discurso completo:

Ministério Público

Na representação, Papa ressalta que pesquisas de opinião por parte de governos “são bem-vindas e de bom grado quando visam o aprimoramento de políticas públicas”, mas que as contratadas pela Prefeitura de Ribeirão Preto são “verdadeiro e flagrante desperdício de dinheiro público para satisfazer interesses particulares do gestor”.

Não há como aceitarmos, mormente em tempos de pandemia, situação esta que prejudicou severamente as relações econômicas e sociais, gastos do erário com esse tipo de questionamento, que em nada auxiliam a percepção da administração pública sobre os anseios da cidade”, enfatizou o vereador, que é presidente da Comissão de Transparência da Câmara.

Papa também elencou perguntas que considera importantes para constarem em pesquisas de opinião a fim de “abrir os olhos, iluminar o gestor sobre as reais percepções dos munícipes”. A Prefeitura poderia ter realizado as seguintes perguntas: Qual a sua percepção sobre o transporte municipal? Qual sua percepção sobre o fornecimento de água pelo Daerp? Qual a sua opinião sobre a zeladoria e o cuidado com o meio ambiente em nossa cidade? Os resultados com toda certeza poderiam direcionar e melhorar a consecução de políticas públicas em nossa cidade”, concluiu.

Assista entrevista de Papa no Thathi Cidade sobre o gasto com pesquisas:

Deixe o seu Comentário

comentários