Procurado por transplantados, o vereador Marcos Papa (Rede) está mobilizando autoridades para pressionar o Governo do Estado a investir na equipe e na estrutura necessária para que os transplantes de fígado feitos pelo Hospital das Clínicas (HC) de Ribeirão Preto sejam retomados com urgência. O serviço foi suspenso há cerca de 15 dias por falta de médicos anestesistas e preocupa transplantados da cidade e da região.

“Ribeirão Preto já foi referência em transplantes de fígado, não podemos aceitar que um serviço tão importante, que salva vidas, deixe de ser feito por falta de investimentos do Estado”, enfatizou o vereador Marcos Papa, que é presidente da CEE (Comissão Especial de Estudos) das Filas na Câmara e autor da Lei das Filas.

Papa está em contato com o superintendente do HC, Benedito Carlos Maciel, e aguarda agenda com o prefeito Duarte Nogueira. O grupo de transplantados, que acionou o parlamentar no início deste semana, afirma que os atendimentos pós-cirúrgicos continuam sendo realizados normalmente no Hospital das Clínicas, mas que os pacientes que aguardam transplante foram encaminhados para São José do Rio Preto ou Campinas.

À imprensa local, a direção do HC informou que os transplantes de fígado estão suspensos por falta de médicos anestesistas. Quatro centros cirúrgicos estão parados após seis profissionais pedirem demissão. De acordo com o Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo, a falta de aumento salarial, que não acontece há seis anos, e a sobrecarga de trabalho fizeram os profissionais pedirem demissão.

O corretor de seguros Antônio Humberto Barros Monici tem uma vida normal, com rotina de trabalho e atividades físicas, desde que foi transplantado pela equipe do HC-RP, em setembro de 2014. Monici, que participou da reunião com Marcos Papa, não esconde a preocupação com a suspensão dos transplantes.

“A sensação é de insegurança, sinto medo porque não sabemos o dia de amanhã. O transplantado corre risco de rejeição e tem muita gente de Ribeirão e região na fila para fazer o transplante de fígado. Por falta de verba, houve uma redução drástica no número de transplantes pelo HC, com a equipe desfalcada preferem suspender os transplantes até para evitarem mortes. Isso precisa ser revisto com urgência, estamos falando de vidas”, frisou.

Deixe o seu Comentário

comentários