Mostra fotográfica ‘Trabalho escravo – uma realidade oculta’ tem início hoje

298

Com imagens chocantes que documentam condições degradantes a que ainda são expostos mais de 150 mil trabalhadores no Brasil, tem início nesta terça-feira (21), a partir das 20h, no Shopping Santa Úrsula, a Mostra fotográfica: Trabalho escravo – uma realidade oculta.

Realizada pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), a mostra é composta por cerca de 30 fotos obtidas em operações do Grupo Especial Móvel de Combate ao Trabalho Escravo ou de Grupos Locais de Combate ao Trabalho Escravo.

Cada uma das imagens conta com descrição do histórico recente do combate ao trabalho escravo. “Essas fotos vem trazer uma luz sobre o que é desrespeitar a dignidade humana. A escravidão na verdade nada mais é do que considerar o outro um alguém que não merece a mesma dignidade que nós mesmos”, destacou a auditora fiscal do trabalho Jamile Virgínio.

A auditora destaca dados divulgados pela ONU (Organização das Nações Unidas), que mais de 50 mil pessoas foram resgatadas de trabalho em condições análogas à escravidão no Brasil entre 1995 e 2017. “Uma das cenas mais marcantes de toda a minha atuação como fiscal do trabalho está retratada em uma destas fotos. Foi quando vi um trabalhador coar uma água barrenta, a única que tinha para beber, numa inútil tentativa de melhorar seu gosto. De melhorar o gosto amargo da escravidão contemporânea”, frisou.

A exposição, que permanecerá no piso 1 do Shopping Santa Úrsula até o dia 3 de janeiro, conta com o apoio do vereador Marcos Papa (Rede) e da Virazom. “Humanizar as relações de trabalho é dignificar a nossa condição humana”, enfatizou Papa.

A mostra, que estava exposta na Assembleia Legislativa até a semana passada, seguirá posteriormente para Jundiaí e Santos com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do enfrentamento ao trabalho escravo, que ocorre no País.