Contrário à construção, Marcos Papa critica anexo da Câmara

145

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o vereador Marcos Papa (Rede) fez duras críticas ao anexo da Câmara de Ribeirão Preto, prédio recém-ocupado pelos 27 vereadores da atual legislatura. Para Marcos Papa, além de o imóvel, que custou R$ 10,5 milhões aos cofres públicos, ser “tenebroso e claustrofóbico”, consumirá uma “fortuna” de energia elétrica em “mais um desrespeito ao dinheiro público”.

“Do ponto de vista arquitetônico essa obra é um disparate, é horrível. As janelas são pequenininhas. Para um presídio construído na década de 40 já seria antiquado. Estamos ao lado do Parque Maurílio Biagi, teria possibilidade muita luz, de muita janela, de muita amplitude numa sensação gostosa para trabalhar, mas não, fizeram uma jaula branca, a sensação de claustrofobia é absurda”, frisou.

TENEBROSO E CLAUSTROFÓBICO

TENEBROSO E CLAUSTROFÓBICORecém ocupado pelos vereadores, o novo prédio da Câmara de Ribeirão Preto é simplesmente tenebroso, claustrofóbico! Essa jaula branca sem ventilação natural consumirá uma fortuna em energia!! Para que o munícipe não seja mais prejudicado ainda, reapresentarei minha proposta de instalação de placas fotovoltaicas para utilização da energia solar. Lamentável o que foi feito com dinheiro público!

Posted by Marcos Papa on Monday, October 7, 2019

Marcos Papa é um dos autores de um ofício destinado, em 2015, ao então presidente da Câmara, posicionando-se contra a construção do anexo, que custou R$ 10,5 milhões aos cofres públicos – apesar de inicialmente estar orçado em R$ 6,8 milhões. Para Papa, o prédio antigo precisava apenas de uma reforma na infraestrutura elétrica e na rede de internet para continuar acomodando os 27 gabinetes.

“Não tem ventilação natural nesse prédio. Vai custar uma fortuna de energia elétrica para manter tudo isso refrigerado. Mais do que nunca vale a indicação que fiz para que aqui tenha uma usina fotovoltaica para que instalem aqui placas fotovoltaicas para que você, contribuinte, não pague por mais esse desastre aqui, que tenha pelo menos a energia renovável alimentando o ar condicionado da Casa”, enfatizou.

Papa também criticou a separação do acesso do público do acesso dos vereadores tanto em corredores como em elevadores.