Presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Câmara de Ribeirão Preto, o vereador Marcos Papa esteve, nesta segunda-feira (29), na Avenida Coronel Fernando Ferreira Leite, onde, no sábado, foi inaugurada obra de ampliação da via e de implantação da canalização do córrego Califórnia.

Após a vistoria, Papa elogiou a obra, que resolveu um problema antigo de esgoto e interligou bairros, mas lamentou que tenha sido “inaugurada inacabada”.

Dentre os problemas pontuados pelo vereador está a inexistência da ciclovia prevista no projeto e também de muro de gabião – estrutura armada, flexível, drenante e de grande durabilidade e resistência.A ciclovia não está pronta. No lugar de muros de gabião, encontrei paredes de concreto lisas, diferente do que o RARAM recomendou para amortecer a velocidade de vazão no ribeirão Preto. Quero saber em que momento isso foi autorizado pela Secretaria de Meio Ambiente?”, questionou Marcos Papa referindo-se ao Relatório de Análise de Risco Ambiental Municipal.

Papa gravou um vídeo no local onde também critica a falta de transparência da Prefeitura. “É difícil encontrar documentos no site da Prefeitura. Se especialistas já sofrem, imagina a população. Certamente desiste antes de encontrar. A Prefeitura precisa avançar significativamente na transparência!”, enfatizou o vereador, que também presidente da Comissão Permanente de Transparência da Câmara de Ribeirão Preto.      

A justificativa técnica para uso do concreto foi solicitada por Papa à Prefeitura, por meio de requerimento, datado de 4 de maio, assim como toda a documentação, atas, projetos técnicos implementados e soluções adotadas.

No documento, o vereador também solicitou com urgência o Plano de Controle Ambiental com as especificações e o detalhamento das medidas mitigatórias, compensatórias e de monitoramento propostas, bem como seu tempo de duração e execução, laudos/documentações, os técnicos responsáveis, e o status da Licença de Instalação do empreendimento.

No vídeo e no documento, Papa destacou a importância da arborização na cidade e solicitou o projeto de paisagismo detalhado. “É inaceitável que em pleno ano de 2020 as obras viárias públicas ainda sejam áridas, desconsiderem especificações técnicas, ignorem novas soluções de infraestrutura verde, não adotem uma exemplar qualificação ambiental urbana, e não deem prioridade e conforto aos pedestres”, frisou.

Ao ressaltar a importância de as Secretarias de Obras e de Meio Ambiente estarem alinhadas e trabalharem em conjunto por obras mais sustentáveis em Ribeirão Preto, o vereador solicitou, ainda no requerimento, que pelo menos um técnico da Secretaria de Meio Ambiente acompanhe diretamente as obras públicas que estão em andamento no município.

Matéria publicada no site da Prefeitura destaca que a obra faz parte do Programa Ribeirão Mobilidade, cujo investimento total beira R$ 500 milhões, sendo R$ 310 milhões do Governo Federal e o restante de financiamento e agências de crédito. Ao todo, a obra na Avenida custou R$ 13,2 milhões. O projeto é uma realização da Prefeitura em parceria com a Multiplan como contrapartida à ampliação do RibeirãoShopping.

Ainda segundo a matéria publicada pela Prefeitura, a ampliação da Avenida Coronel Fernando Ferreira Leite foi realizada entre as Ruas José Borges da Costa e Otávio Magalhães, numa extensão de 1,3 quilômetro. O projeto contemplou a pavimentação de 16 ruas que não tinham saída para permitir a ligação direta com a avenida. Foram executados 29 mil metros quadrados de pavimento novo; 13 mil metros quadrados de calçadas de concreto; 670 metros de canalização em concreto; 522 metros de aduelas de concreto assentadas e 3.367 m³ de concreto utilizados.

Desde o primeiro mandato, o vereador Marcos Papa acompanha de perto a situação no local e cobra soluções, tendo, inclusive, acionado o Ministério Público.

Assista o vídeo gravado no local em março de 2018:

Deixe o seu Comentário

comentários