O vereador Marcos Papa (Rede) defendeu a exoneração do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, durante seu pronunciamento na tribuna da Câmara na sessão de quinta-feira (22). Para Marcos Papa, Salles é incapaz, desqualificado e irresponsável.

“Da mesma forma que usei essa tribuna para pedir ao então governador Geraldo Alckmin que tirasse o senhor do Secretariado de São Paulo, peço agora ao presidente Bolsonaro que retire o senhor do Ministério. Não é o seu lugar, vá trabalhar com outras coisas, o senhor não serve para o Meio Ambiente. No Meio Ambiente, o senhor é um antiministro”, frisou.

Como secretário, Ricardo Salles esvaziou os conselhos gestores do Estado de São Paulo e atrasou o plano de recuperação da Mata de Santa Tereza – 60% da Mata pegou fogo em 2014. “Nossos biomas demoraram milhões de anos para serem formados e esse ministro incapaz, desqualificado, irresponsável, que já prejudicou muito o Estado, agora vira as costas para a nossa Amazônia, dizendo que o fantasma do imperialismo internacional quer opinar na nossa soberania. Tenha a santa paciência”, destacou.

O vereador Marcos Papa, que é presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Câmara de Ribeirão Preto, ainda acrescentou:

“A Amazônia é nossa. O senhor tem a obrigação constitucional de protegê-la. Não por outro motivo apoio o pedido de impeachment do senhor, formalizado pelo meu partido, a Rede Sustentabilidade, porque não cumpre o que está escrito na Constituição Brasileira que determina que a sua autoridade de ministro venha a proteger o bioma, a Amazônia, os brasileiros do equilíbrio ambiental. E não é o que o senhor está fazendo”.

Para Marcos Papa, o cargo de ministro precisa ser ocupado por alguém mais qualificado. “Ele precisa sair rapidamente para que o cargo seja ocupado por alguém que venha a proteger o meio ambiente, proteger o bioma da Amazônia, que venha proteger a vida em harmonia com o desenvolvimento econômico, que é diferente de crescimento econômico. O crescimento é a qualquer custo, ali na frente para e nós sofremos as consequências. Desenvolvimento não. Há de se conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação do meio ambiente é o dever dele como ministro, mas não é o que vem fazendo”, concluiu.

Assista ao discurso completo:

 

Deixe o seu Comentário

comentários