DONA NILVA

1001

Essa semana conheci a dona Nilva, uma mulher batalhadora que quebrou o braço descendo de um ônibus, na Avenida Saudade, quando voltava do serviço. Estive na casa dela, no início da semana, e acabo de receber a boa notícia de que ontem, após 40 dias, ela tirou o gesso do braço e, a partir da próxima semana, começará a fazer fisioterapia. A dona Nilva precisará ficar afastada do trabalho por mais 45 dias, período em que, mais uma vez, o salário de auxiliar de limpeza fará falta no orçamento familiar. A perícia do INSS foi marcada só para dezembro e até agora o Consórcio PróUrbano não deu nenhum auxílio, sequer acionou o seguro contra usuários e terceiros. Sigo indignado, gente! Essa senhora precisa ser indenizada, trata-se de mais um acidente envolvendo o péssimo sistema de transporte público de Ribeirão Preto.