Cadê a mata que tava aqui?

804

É triste quando uma área com tamanha importância ambiental como a nossa Mata de Santa Tereza é deixada em segundo plano. Depois do incêndio que ocorreu no final de agosto de 2014, a promessa do governo Estadual era de que o plano de recuperação da mata seria apresentado até março deste ano.
(Foto: Portal G1)

De quem é a responsabilidade, afinal? A Estação Ecológica é gerida pela Fundação Florestal, que deveria estar preocupada em agilizar o processo para que a recuperação da mata fosse iniciado o mais breve possível, mas não é isso que temos visto. A Fundação Florestal ainda não tomou ciência do tamanho do problema e aparentemente não está se mexendo para que as coisas caminhem.

A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), vendo a situação em que a mata se encontra, sem que nenhuma providência seja tomada, iniciou a tentativa de firmar uma parceria com empresas que possuem débito de compensação ambiental com o órgão para tentar viabilizar a recuperação ambiental da maneira mais rápida possível.
Mesmo conhecendo este cenário, a Fundação Florestal permaneceu acomodada e nenhum esforço foi feito paralelamente ao trabalho da Cetesb para solucionar o problema!

O que aconteceu depois disso acabou sendo previsível, apesar de extremamente revoltante, pois a tentativa de firmar parcerias da Cetesb, infelizmente, não prosperou e a Fundação Florestal não tem um plano “B”. Simplesmente, o órgão não cumpriu a responsabilidade básica de elaborar um plano de recuperação da Mata de Santa Tereza e colocá-lo em prática.

É uma falta de respeito com o meio ambiente e com os cidadãos de Ribeirão Preto e região que um patrimônio natural como a Mata de Santa Teresa seja conduzido de qualquer maneira, sem ações efetivas para a sua recuperação e sem prazos definitivos de apresentação do plano de recuperação após o trágico desastre. Não podemos deixar que esqueçam da importância da preservação e recuperação da biodiversidade local dessa Estação Ecológica.

A Fundação Florestal nos deve explicações e queremos que o cronograma de trabalho seja apresentado o quanto antes, para que a Mata possa ganhar forças pra se regenerar.

Marcos Papa

Acompanhe o caso clicando aqui:https://www.marcospapa.com.br/2015/07/mata-de-santa-tereza/